FINAL DOS ANOS OITENTA, DÉCADA DE NOVENTA 2

BIBLIOTECA NACIONAL, RIO DE JANEIRO *

Marcelino Rodriguez

Saio da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro com uma verdadeira vertigem,
após a leitura das Flores de Mal de Charles Baudelaire. Depois de lê-lo, o mundo havia se transformado a meus olhos completamente. “Tende Piedade,
Satã, de nossa longa miséria longa miséria!”, ecoava em minha mente os versos do frances enquanto automóveis e pessoas pareciam sonâmbulos de um pesadelo; Para Charles, a salvação humana só pode dar-se caso o demônio liberte a espécie do seu longo julgo, uma vez que segundo ele as almas eram demasiadamente débeis para para seguirem Jesus Cristo; ´”É o demônio que nos move e até nos manipula” – Ninguém escapa após ler as Flores do Mal de sentir um arrepio de verdade sobre o império do mal que a humanidade profana obedece. Os verdadeiros cristãos são cruzados que se rebelam contra o demônio, buscam subjulgar sua natureza inferior com a disciplina do combate e ,embora vez ou outra, possam sucumbir ainda ao erro e ao pecado, acabam pela bravura e pela graça de Deus alcançando a redenção. São aqueles que o Messias fala serem são nascido do espírito. Lembro-me que sai da Biblioteca pela Avenida Rio Branco hipersenśivel, percebendo que tinha pisado em um universo paralelo. Era capaz de ver os
perversos num tempo futuro sendo levados as profundezas do inferno pelos demônios alados que os acompanham, escamosos como dragões num crepúsculo infinitamente melancólico, hollyhodiano.

TRECHO DO NOVO LIVRO O TIGRE DE DEUS EM SEU JARDIM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s