Poema em branco e preto

POEMA EM BRANCO E PRETO

Marcelino Rodriguez

Que seria de mim na madrugada solitária, se não fosse filho de Deus
e essa mariposa não acolhesse minha luz? Essa gente do mundo
não me ama como deveria, nem me tem grandes fidelidades. Não os
entendo a falta de amor, nem a indiferença, nem a maldade.
Breve é o dia de meus anos.

De presente antecipado, ganhei uma lembrança em preto e branco que tem ficado em minha mente…
Minha mãe era costureira e costumava levar-me ás fábricas e confecções,
onde trabalhava para trazer-me o pão sem lágrimas.
Eu, debaixo das máquinas, ficava brincando com o volante
das mesmas, ganhando mundos imaginários.

Quanto tempo faz isso?
Que amigos eu tinha nos meus sonhos?
Por onde andará minha mãe agora?
Que me diz essa mariposa na noite?
Às vezes, em nossas vidas, lembramos um poema.
Às vezes, em nossas vidas, escrevemos saudade.

Do livro Carisma – (Inédito)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s