O Mar Vermelho

O MAR VERMELHO

Marcelino Rodriguez

Acredito que vivemos um tempo de muita solidão e desencontro entre as pessoas, que embora estejam próximas, não estão juntas. Mesmo em instituições onde deveria haver união, se encontra a desarmonia. Isso se deve a uma concepção errada que os seres humanos tem do espaço. Não é necessário competir pelo espaço, tem de tudo para todos e os sábios sabem que é doando que temos mais, e não, ao contrário do que pensam os homens não espirituais, cerceando o crescimento dos outros.

As pessoas quando tem a graça de ter uma revelação do alto e se convertem para a vida do espírito, para o teocentrismo ( A Tradição Espiritual não importa), deixam a vida do ego em segundo plano. Uma pessoa verdadeiramente espiritual não pode ser preconceituosa, mas sim acolhedora. Um exemplo interessante disso foi nos contado por um padre sobre como se sentiria a mãe de Jesus, humanamente, na seguinte situação. Durante a festa de Natal, o coro afinado da Igreja estava todo ensaiado para dar aquele exemplo de afinação, quando uma das fiéis, de súbito, impulsionada pelo espírito santo, segundo ela, entrou no coro e juntou-se ao grupo. Só que tinha um problema. Ela não tinha boa voz. Sua desafinação foi percebida por todos. Ao fim, o líder do coro veio e disse-lhe:
— Nunca mais a senhora faça isso.
A mulher nunca mais voltou à comunidade.
Então o padre pergunta
— Como teria, naquele momento, se sentido a mãe de Jesus. O que estaria em seu coração? Ela seria legalista, ou acolheria a “desafinada”? Muitas vezes, Deus nos manda situações incomodas, as vezes até contra nossa aparente vontade, mas será que temos a humildade de Servos como teve a mãe de Cristo?
Eis algo que devemos pensar para entender o humor dos Anjos.
Quando nos sentirmos sem saída, em situações confusas, não tenhamos medo de abrir-nos para Deus e os Santos Anjos e com o Cajado de nossa bondade, senso de justiça e ousadia tocar com ele o solo e assumirmos que somos filhos de Deus e termos fé. No plano espiritual, fé é poder. Deus é fiél aos que o amam.
Não esqueça, porém, de tirar as sandálias quando pisar em Terra Santa e não querer que Deus e seus meios se amoldem a seus sapatos. Se acolhermos os Anjos, mesmo quando eles nos parecerem desafinados, eles nos conduzirão.Do livro dos AnjosDireitos Reservados

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s